BEIT SHEAN, é cidade bíblica e um dos mais importantes parques nacionais de Israel, localizado na região do Vale do Jordão. Beit Shean é o maior sítio arqueológico de Israel e um dos maiores de todo o Oriente Médio.

Bet Shean está localizada no norte do vale do Jordão e foi fundada no quinto milênio AC. Em uma colina ao sul do riacho de Harod, no coração de uma região de grande fertilidade e abundante em água, e tornando uma importante cruzamento.

Durante a Idade de Bronze Posterior (XVI-XII AC), os egípcios fizeram de Bet Shean o centro do seu domínio sobre Canaã. Segundo a Bíblia, as tribos israelitas não foram conseguiram capturar-la dos cananeus. Depois da batalha no monte Gilboa que está bem próximo, os filisteus pendurou os corpos do rei Saul e seus filhos nas muralhas da cidade.

O rei Davi conquistou Bet Shean, juntamente com   Megido e Ta’anach. Nos dias do rei Salomão a cidade tornou-se  parte  de  uma  região  administrativa  que abrangia os vales do norte do país. Em 731 AC, a cidade foi destruída pelo rei assírio Tiglath-Pileser III.

Na segunda metade do século IV AC, na época de Alexandre o Grande, Bet Shean foi restabelecida como uma cidade grega, com toda a pompa da cultura grega no Oriente: ruas com colunas, templos, teatros, mercados, fontes, banhos públicos e saunas.

Mais tarde, no período helenístico, a cidade foi nomeada Nisa Scythopolis. O nome deriva da mitologia grega, segundo a qual Dionísio, o deus do vinho, enterrou seu enfermeiro na cidade de Nisa estabelecendo-se com os citas, tribo da Rússia, que eram seus guardas pessoais.
Em 107 AC, os macabeus conquistaram Scythopolis. Aos habitantes pagãos foram dadas a escolha, conversão ou o exílio, e os judeus voltando para lá, restaurando o antigo nome bíblico de Bet Shean. Em 63 DC, os romanos tomaram a cidade transformando-a em uma das dez cidades conhecidas como Decápolis.

Durante a Grande Revolta judaica(66 DC), os judeus de Bet Shean foram assassinados por seus vizinhos pagãos, que tomaram a cidade e devolvendo-lhe seu nome pagão. Ela se desenvolveu muito durante o reinado do imperador Adriano (117-138 DC) e Marco Aurélio (161-180), e durante o período romano posterior, judeus, pagãos e samaritanos viviam juntos alí. Grandes edifícios públicos foram construídos, adornado com  inscrições e  estátuas.

No século IV, quando o cristianismo se tornou a religião oficial do império, a vida da cidade mudou de estilo novamente. O anfiteatro, onde gladiadores lutaram foi negligenciado, o teatro e os banhos continuaram em funcionamento. Igrejas foram construídas, mas o centro da cidade manteve seu caráter pagão por um longo tempo. Em 409 DC, Bet Shean se tornou a capital da região administrativa conhecida como Palaestina Secunda. A cidade se estendida por 325 hectares e prosperou muito graças à indústria de roupa, e sua população alcançou cerca de 40.000-50.000 habitantes.

Depois da conquista árabe na primeira metade do século VII, a cidade declinou gradualmente, perdendo seu lugar para Tiberíades. Então, em 749 DC, um terremoto abalou a região e devastou Bet Shean – o que pode ser comprovado em toda a escavações.

Abaixo a casa do governador egípcio sobre o monte bíblico e ao fundo a moderna Beit Shean.

O nome Scythopolis acabou sendo esquecido e o local ficou conhecido como Beisan, recordando o antigo nome bíblico.

Na Idade Média, os cruzados construíram uma fortaleza a leste do anfiteatro destruído.

beitshean2

Após a fundação do Estado de Israel, Bet Shean foi restabelecida e começou a crescer. As ruínas, que são o orgulho da cidade, sofreram grande restauração e reconstrução, permitindo que eventos e espectáculos a tenham lugar na antiga rua e teatro.

O monte bíblico(Tel Beit Shean) com cerca de 50 metros de altura, tem uma vista espetacular da cidade grande a seus pés e do vale de Bet Shean e do vale do Jordão.

Outras atrações incluem o magnífico teatro romano com

7.000 lugares, o anfiteatro, onde gladiadores lutavam, o um balneário bizantino, e o principal, o cardo que é a rua principal do período romano que está pleta de colunas. Um veículo está disponível para levar os visitantes ao redor do perímetro, parando nos locais principais. Abaixo a subida ao monte bíblico.

Como chegar:

Siga as indicações para o parque nacional dentro da cidade de Bet Shean. Ônibus Egged 412 de Jerusalém chega Bet Shean.

Abril-Set.: Domingo a quinta-feira 8:00-17:00 Outubro-Março 8:00-16:00

Sexta-feira 8:00 -16:00; sábados 8:00-17:00

Tel. 04-6587189

” She’an Nights ” 04-648-1122

Não perca a vista sobre as ruínas do topo do monte bíblico; E o audio visual noturno “She’an Nights” apresentação de som e luz.

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *