Em uma das nossas jornadas na região da Aravah, uma savana extremamente seca em Israel, tivemos o privilégio de visitar um dos lugares que mais me emocionei em Israel, Fazenda dos Antelopes no sul de Israel.

A minha emoção surgiu por que sei, que a maior parte deste animais viviam nesta região a milhares de anos atrás, mas por causa da ganância e das guerras, praticamente quase todos foram extintos. Mas este casal e sua família, que vivem nesta região conseguiram fazer quase o impossível, criar um ambiente onde os animais puderam retornar a região e voltar a fazer parte da paisagem bíblica, bem como a 3.300 anos atrás quando o Povo de Israel cruzou a região na conquista da Terra Prometida.

A Fazenda dos Antelopes está localizada no coração do Arava, com um complexo turístico vivencial que oferece uma variedade de atrações e opções de hospedagem: camping, khan e pousadas com o espírito africano.

A fazenda serve como uma excelente base para viagens e férias para os caminhantes em Arava que procuram passar um tempo de qualidade no deserto, e é um ponto de parada atraente para os caminhantes em seu caminho de e para Eilat.

Yossi e Shlomit Ben contam em seu site como isso aconteceu

Em 1985, saímos do centro do país em favor dos Arava e começamos nossas vidas como agricultores, estabelecemos uma casa em Moshav Tzofar.
Nosso sustento baseava-se em safras para exportação e comercialização local. Temos empreendedorismo e curiosidade em abundância e eles nos levaram a colheitas especiais e novas aventuras.
Paralelamente ao seu trabalho de campo, Yossi trabalhou como segurança para a El Al. Nesse contexto, chegou até a África e aí, apaixonou-se pelos nobres antílopes africanos.

Logo percebemos que as condições climáticas e a vegetação da pradaria são relativamente semelhantes às da pradaria africana e permitem o crescimento de antílopes. E assim, o sonho da fazenda começou.

A fazenda foi estabelecida em paralelo com todas as várias ocupações e era autônoma por Yossi e seu irmão David. A construção durou cerca de cinco anos, com cada item recebendo atenção e tratamento especial, a fim de criar um complexo de estilo africano, preservando e se relacionando com a paisagem da pradaria.

Durante a construção, vivemos um drama difícil, quando pouco antes do final das obras, Getz disparou ao soldar a “caixa de conforto” que queimou completamente.

O otimismo e a força de vontade de Yossi nos permitiram superar todos os contratempos, reconstruir a “Arca de Noé” e abrir a fazenda ao turismo em 2005.